domingo, 1 de julho de 2012

EAD


...a partir da internet, expande-se o processo educativo para além dos muros das escolas e das universidades com a modalidade de ensino a distância. As tecnologias podem ser utilizadas também como espaço de luta.

Paulo Freire


A partir desse ponto de partida podemos perceber que sem conhecimento o homem não sobrevive se torna um ser excluso no ambiente de vive. Tanto professores e alunos devem se qualificar e estar atento às mudanças da sociedade. Hoje professor também aprende, e o processo de ensino e aprendizagem parte de todos, professor não visto mais como o dono do saber, mas como um profissional que estimula interação, pesquisa, investigação dos alunos contribuindo no desenvolvimento intelectual. Na atual realidade, cada vez mais as pessoas vão construindo conhecimento, para que se possa tornar uma sociedade cada vez mais justa para todos.

Liliane Domingos

domingo, 29 de janeiro de 2012

Periodização das Épocas Históricas da Humanidade

Pré-histórica: período que antecede à escrita, por volta de 4000 a. C.
Idade Antiga: período que se estende desde a invenção da escrita de 4000 a. C. até a queda do Império Romano (476 d. C.)
Idade Média: foi um período longo de quase mil anos, intermediário entre a idade antiga e a moderna. Começa no 476 d.C. com a queda do Império Romano, que cai nas mãos dos povos bárbaros, e se estende até perto das grandes navegações em 1453, quando Constantinopla hoje (Istambul) Turquia, foi tomada pelos os turcos Otomanos.
Idade Moderna: do século XV ao XVIII, com a queda de Constantinopla em 29 de maio de 1453, até a revolução francesa em 14 de julho de 1789. Grandes navegações, expansão marítima.
Idade Contemporanêa: iniciado a partir da revolução francesa 1789, até os dias de hoje.


domingo, 27 de novembro de 2011

O que seria das pessoas sem conhecimento?
O que seria das pessoas sem livros?
O que seria das pessoas sem literatura?
O que seria? Como seria?

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Jovem Príncipe

Para quem se encantou com a história fantástica do clássico O Pequeno Príncipe” de Antoine de Saint Exupéry, também ficará encantado com O retorno do Jovem Príncipe” de Alejandro Guillermo Roemmers. Na qual Roemmers, da continuidade a história preservando a inocência do personagem o “Jovem Príncipe” apesar de não ser mais criança. Seu retorno é surpreendente, pois agora ele não volta mai seu para planeta, permanece aqui na Terra para aprender e ajudar as pessoas.

 “saiba que qualquer escolha implica em abandonar algo. Todas as mudanças significam deixar alguma coisa para trás: essa é a única maneira de crescer e progredir. Dolorosamente, mas sabendo que nos tornamos mais ricos em experiência. Pouco a pouco, largamos o que é supérfluo e mantemos apenas o essencial.”
“... estou convencido de que a morte só vem até nós depois que aprendemos tudo o que vivemos ao mundo para aprender.”  

domingo, 23 de outubro de 2011

Para Ler...

"Todos nós começamos como leitores atentos. Mesmo antes de aprendermos a ler, o processo de ouvir leituras em voz alta significa que assimilamos uma palavra depois da outra, uma frase de cada vez, que prestamos atenção ao que quer que cada palavra ou frase esteja transmitindo. É palavra por palavra que aprendemos a ouvir e depois ler, o que parece adequado, porque, afinal, foi assim que os livros que lemos foram escritos".

"Quanto mais lemos, mais rapidamente somos capazes de executar o truque mágico de ver como as letras foram combinadas em palavras dotadas de sentido. Quanto mais lemos, mais compreendemos, mais aptos nos tornamos a descobrir novas maneiras de ler, cada uma ajustada à razão que nos levou a ler um livro particular".

Francine Prose

domingo, 10 de julho de 2011

A Comédia Cotidiana

Para os filhos...
"Dedicar-vos nossa vida, só pensar em vocês, preparar vosso bem-estar, sacrificar nossos gostos as vossas fantasias, adorar-vos, dar-vos nosso próprio sangue, isso não é nada? Ai, é verdade, vocês aceitam tudo com indiferença. Para obter sempre vossos sorrisos e vosso dedenhoso amor, seria preciso ter a força de Deus. Depois, enfim, um outro aparece! Um namorado, um marido nos arrebatam o coração."

Para os jovens...
"As moças com frequência criam imagem nobres, deslumbrantes, figuras totalmente ideais, e forjam ideias quiméricas acerca dos homens, dos sentimentos, do mundo; depois atribuem inocentemente a um caráter as perfeições que sonharam, e entregaram-se a isso; amam no homem que escolheram essa criatura imaginária;porém, mais tarde, quando não há mais tempo de livrar-se do infortúnio, a enganadora aparência que embelezaram, seu primeiro ídolo, transforma-se em enfim num esqueleto odioso."
Honoré de Balzac
A Mulher de Trinta Anos